quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

ECOLOGIA

Salvem as Baleias!

Antes de mais nada, é bom que se diga, baleias são mamíferos e, assim sendo, não são peixes. É bom ficar clara essa diferenciação porque ela tem consequencias para sobrevivência da espécie. Historicamente as baleias foram tratadas como peixes pela indútria baleeira, um equívoco mortal para elas. A maioria das espécies de peixes se reproduzem através da liberação, pelas fêmeas, de enormes quantidades de ovos na água que, então, são fertilizados pelos machos. Por outro lado, as baleias são mais parecidas com o homem e animais mamíferos,ou seja, tem sangue quente, respiram ar pelos pulmões e dão à luz filhotes bem desenvolvidos que crescem sendo amamentados por suas mães. O período de gestação é de 12 meses, e de reprodução de tres em tres anos, requerendo mais de ano de cuidados maternais, antes de poder sobreviver sozinho. Esse filhote pode levar muitos anos para atingir a maturidade. Por essas razões, as baleias se recuperam muito lentamente das perdas provocadas durante sua exploração comercial. Existe tambem um enorme desconhecimento sobre muitos aspectos da biologia das baleias. Elas são incrívelmente adaptadas à vida aquática e, quando submersas, se comunicam através de complexas séries de cliques, estalos e assovios. Estudos revelaram um comportamento social bastante desenvolvido. Algumas espécies formam grupos com forte organização social, nos quais os individuos alimentam-se e protejem jovens e doentes de forma coordenada e bastante eleborada. Após décadas de pesquisas, as taxas de crescimento das populações de baleias são ainda desconhecidas, por causa das dificultades de se estudar esses animais altamente migratórios, de vida longa e reprodução lenta. Tambem não há estimativas seguras das taxas de natalidade ou das taxas de mortalidade natural de filhotes ou de animais jovens. Mesmo os métodos mais modernos utlizados para determinar o tamanho das populações hoje existentes, não conseguem contar o número de individuos com precisão. A atividade baleeira não reconhece esse problema, escolhendo estimativas que justifiquem a caça.
Fonte - Greenpeace

ÁREAS DE PROTEÇÃO AMBIENTAL - APAS

São espaços do território nacional onde se aplicam normas especiais de conduta e de manejo das atividades humanas com vistas a preservar os atributos naturais relevantes e assegurar, ao mesmo tempo, a qualidade de vida das pessoas. As APAS federais são criadas por ato legal do governo Federal e são administradas pelo IBAMA.

ÁREA DE PROTEÇÃO AMBIENTAL DA BALEIA FRANCA

Efetiva desde 14 de setembro de 2000 por Decreto Federal, abrange 156.100 hectares de águas costeiras e espaços terrestres contíguos ao longo de 130 km de costa, do sul da ilha de Santa Catarina ao Balneário do Rincão, ao sul do Cabo de Santa Marta

PAISAGENS DA APA DA BALEIA FRANCA

São produtos direto da ação do mar sobre a costa continental.Moldurados pelo embate das ondas, os costões de granito, rochas cuja idade beira os 600 milhões de anos, um dia foram ilhas cercadas pelo mar que avançava até a borda da Serra do Mar. Há alguns milhares de anos, o retrocesso do mar criou a planície costeira, depositando as areias que hoje constituem as praias e campos de dunas e deixando atrás de si as lagoas, testemunhas de antigas baías de tempos imemoráveis.
Ilhas rochosas pontilham a paisagem marinha da APA , muitas delas com grande importância para a nidificação de aves marinhas.Na porção norte da APA, essas ilhas integram o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro.
As pontas de pedras que emolduram as enseadas da APA possuem uma flora toda especial, onde as bromélias sobressaem no conjunto.Onde a rocha adentra a água, começa uma comunidade de vida marinha muito rica e diversificada, cujos andares de espécie de fauna e flora são determinados pelas marés e pela profundidade.
As praias arenosas e o conjunto de dunas da APA estão entre as mais belas de Santa Catarina

Paisagens da Apa extraído do Guia do Visitante (PBF-Projeto Baleia Franca) e adaptado por Julio Vicente (AGTA)









Contato com Julio Cesar Vicente
Fones: 48 9977 6352 ou 48 9948 2224
Email: jcvtur@hotmail.com
roteiro.sul@hotmail.com




2 comentários:

  1. Maravilhosa diversidade e ótimo site. Muito informativo. Parabéns.

    ResponderExcluir